• 1 de March de 2024


Maternidade Regional de Camaçari traz à luz bebês em partos na água

 Maternidade Regional de Camaçari traz à luz bebês em partos na água

A Maternidade Regional de Camaçari (MRC), administrada pela Fundação Estatal Saúde da Família (FESF-SUS), realizou entre segunda e terça-feira, dois partos de bebês, realizados com uso de banheira.

Os bebês, Liz e Antônio, e suas mães, passam bem. A MRC realizou até o momento, neste um ano de funcionamento, nove partos nesta modalidade. Liz foi o oitava bebê a nascer, na segunda-feira, dia 18, às 9h08min, medindo 48 cm e pesando 3,32 kg. Já Antônio, o 9º bebê a nascer na modalidade de parto na água, nasceu na terça-feira, dia, 19, à tarde, com 45,5 cm e pesando 2,842 kg.

Os bebês receberam cuidados importantes por parte da equipe de enfermagem, como o corte oportuno do cordão umbilical, o contato pele a pele imediato com a mãe, e mamaram antes da primeira hora de vida. São procedimentos de cuidados humanizados, conforme orientações da Organização Mundial de Saúde.

Avaliação das equipes

Liz é a segunda filha da dona de casa, residente em Camaçari, Juliane Batista de Oliveira, 21 anos. Já Antônio, é o primeiro filho da estudante Amanda Santos Lopes, de 16 anos, moradora de Simões Filho.

Os partos, na MRC, foram realizados a partir de avaliações conjuntas das equipes médica e de enfermagem obstétrica. A decisão do parto na água foi de livre escolha das parturientes.

As mães também tiveram o direito de ser assistidas por suas acompanhantes. Juliane teve como acompanhante a mãe; enquanto a estudante, Amanda, teve acompanhante, a avó, Maria.

Nessa modalidade, a gestante realiza o trabalho de parto imersa na água aquecida à temperatura entre 36° e 37° graus, cobrindo toda a barriga e permanece nela até dar à luz. A iluminação do local é reduzida e o acompanhante, quando for o caso, pode até ficar na banheira para apoiar a mulher que está em trabalho de parto.

Gestantes de baixo risco
O parto na água é opção milenarmente conhecida, que permite o nascimento do bebê com a mãe imersa em água. A modalidade ficou conhecida entre outros, por povos egípcios, gregos, romanos e africanos.

A modalidade é recomendada apenas para gestantes de baixo risco, avaliadas durante o cuidado de pré-natal. O objetivo é garantir que oparto seja seguro para a mãe e o bebê.
Dentre os efeitos do parto na água estão o aumento da irrigação sanguínea e melhora do relaxamento muscular, levando ao alívio das
dores e contrações. Possibilita, assim, a expulsão mais fácil do bebê.

“Ter um parto natural, na banheira, para mim foi uma experiência muito boa. Eu nunca tive essa experiência. Pra mim foi incrível. Eu adorei todo o apoio de todas as pessoas ao meu redor, atenciosas, dedicadas, foi muito
especial pra mim”, revelou Juliane Batista, mãe de Liz.

Maternidade Regional de Camaçari
Inaugurada em 30 de setembro de 2022, a Maternidade Regional de Camaçari é referência para pacientes dos municípios de Camaçari, Conde, Dias D´ávila, Mata de São João, Pojuca e Simões Filho.

A unidade já realizou até o dia 17/12 mais de 4.859 partos e prestou atendimento a cerca de 13 mil mulheres no seu primeiro ano de funcionamento. O atendimento da Maternidade é composto de 105 leitos, sendo 72 leitos de internação, 25 leitos na Unidade Neonatal e 08 em cirurgias.

Joe Improta