• 17 de April de 2024


Fabricante chinesa de automóveis estuda comprar fábrica da Ford em Camaçari e Mercedes-Benz em (SP)

 Fabricante chinesa de automóveis estuda comprar fábrica da Ford em Camaçari e Mercedes-Benz em (SP)

Considerada uma das maiores montadoras de automóveis da China, a Great Wall apresenta interesse em comprar a fábrica de automóveis da Mercedes-Benz e da Ford no Brasil. De acordo com a agência de notícias Reuters, a marca planeja expandir atuação para mercados além da Ásia e enxerga boas oportunidades na América do Sul.

A empresa planeja construir uma nova fábrica ou comprar uma das duas que foram desativadas este ano, a planta da Ford em Camaçari (BA) ou a da Mercedes-Benz em Iracemápolis (SP). Fontes familiarizadas com as negociações da empresa confirmaram que as conversas estão de fato acontecendo, mas ainda em estágio preliminar. A Great Wall ainda não definiu qual estratégia de fabricação local adotará no Brasil, mas as vendas de veículos importados da China estão previstas para começar no início de 2022.

Na sexta-feira, a agência Bloomberg noticiou que a Great Wall mantém conversas com o grupo Daimler (dono da Mercedes) sobre a possível aquisição da fábrica de Iracemápolis fechada em dezembro passado, onde a fabricante disse ter investido R$ 600 milhões. Um porta-voz da empresa alemã declarou à Bloomberg que a companhia continua a explorar diferentes opções para a planta, sem dizer quais.

A outra opção da Great Wall está na Bahia. Após a Ford anunciar em janeiro passado o fechamento de suas fábricas no Brasil, o governo baiano criou um grupo de trabalho para atrair possíveis compradores para a fábrica de Camaçari e confirmou que fez contato com a embaixada da China no País para fomentar o interesse de montadoras chinesas.

Tal interesse da Great Wall em instalar uma fábrica no Brasil, maior mercado da América do Sul, se dá pelo fato de ser umas das regiões do mundo incluídas nos planos de expansão internacional da empresa. Na região, a fabricante já mantém uma pequena linha de montagem no Equador e vende seus carros em diversos países, como Uruguai, Peru, Bolívia, Paraguai, Argentina e Chile – este último onde atualmente faz seu maior volume regional, com 2,4 mil veículos vendidos e faturamento de US$ 44 milhões em 2020.

Durante um evento na China em setembro de 2012, a Great Wall confirmou a Automotive Business que estudava formas de produzir seus carros no Brasil, pois na época a sobretaxação a veículos importados criada pelo Inovar-Auto praticamente inviabilizava qualquer operação por meio exclusivo de importações.

Joe Improta