• 15 de April de 2024


UFBA pretende implantar novos cursos e ampliar presença no Polo de Camaçari

 UFBA pretende implantar novos cursos e ampliar presença no Polo de Camaçari

A Universidade Federal da Bahia (UFBA) completa três anos da instalação do seu Campus Camaçari com o Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTI) e cerca de 215 alunos matriculados. A contribuição para a formação de mão de obra local de qualidade é evidente, com estudantes já atuando como estagiários nas empresas do Polo Industrial de Camaçari e região.

“Em 2022, com o retorno às atividades presenciais, prevemos a realização de uma aproximação maior e direta com as empresas, mostrando os resultados das nossas colaborações com a Prefeitura de Camaçari, na busca de demandas, problemas e parcerias para suas soluções que beneficiem ambas as partes”, afirma Maiana Matos, diretora Pro Tempore do Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação /UFBA Camaçari nesta entrevista ao PoloNotícias.

Qual o propósito da UFBA com a instalação definitiva do seu Campus em Camaçari?

Maiana Matos – Possibilitar às pessoas do interior um maior acesso à educação superior gratuita e de qualidade numa instituição comprometida com o ensino, a extensão e a pesquisa. Representa desenvolvimento para o município, pois auxilia na redução da desigualdade. Além de fortalecer o movimento de expansão e interiorização da universidade.

O Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTI) foi criado como Unidade Universitária pela Resolução 03/2018 do Conselho Universitário de 8 de agosto de 2018, iniciando suas atividades acadêmicas em 18 de setembro de 2018. Atualmente oferta o Bacharelado Interdisciplinar em Ciência, Tecnologia e Inovação. Esta modalidade de curso de formação promove um forte investimento na compreensão da integração de saberes, na leitura da realidade local-global, na interpretação dos fenômenos contemporâneos onde a ciência, a tecnologia e a inovação se tornaram centrais ao desenvolvimento das sociedades.

Em perspectiva, deve ampliar também o conhecimento e desenvolvimento na área das Engenharias, com uma forte aderência ao arranjo produtivo local para alavancar a competitividade do parque industrial e contribuir para a superação das assimetrias e desigualdades socioeconômicas regionais, particularmente na cidade de Camaçari e na Região Metropolitana de Salvador e seu entorno.

Qual a contribuição da UFBA para o Polo Industrial de Camaçari?

MM – Em um primeiro momento, a principal contribuição é a formação de mão de obra local de qualidade para suprir as necessidades do Polo, alguns dos nossos estudantes já estão inseridos em empresas da região na forma de estágios. Em um segundo momento, com o amadurecimento das linhas de pesquisas e alinhamento às necessidades locais da comunidade, notadamente a partir de 2022 com o final das atividades remotas e retorno às atividades presenciais, será efetuado um trabalho mais intenso de aproximação com as empresas do Complexo Industrial, a exemplo do que vem sendo feito com projetos em parceria com secretarias específicas da Prefeitura de Camaçari.

Além disso, aguardamos a doação de uma área para a construção do nosso Campus de forma definitiva, o que irá permitir a instalação de novos laboratórios, aumentando a nossa oferta de vagas, capacidade de aumento de linhas de pesquisas e alinhamento e aproximação efetiva com as necessidades do próprio Polo Industrial. Essa aproximação permitirá que sejam formatados componentes curriculares e temas de pesquisa que reflitam diretamente na solução de problemas específicos do setor industrial.

A UFBA Camaçari tem parceria com as empresas do Polo?

MM – Atualmente a UFBA-Camaçari ainda não possui parceria direta com as empresas do Polo, o contato geralmente é realizado através do Cofic, que gentilmente cede suas instalações para reuniões, convocando empresas interessadas. Já houve reuniões de apresentação do curso de BI-CTI para empresas como Braskem, Tronox, Ford entre outras. Em 2022, com o retorno às atividades presenciais, prevemos uma aproximação maior e direta com essas empresas, mostrando os resultados das nossas colaborações com a Prefeitura de Camaçari.

Quais os planos para ampliar a parceria com as empresas do Polo?

MM – A flexibilidade curricular do BI-CTI permite diversas propostas de parcerias. Temos diversos pesquisadores que atuam em temas relacionados às áreas industrial e de sustentabilidade. Temos componentes curriculares (disciplinas), que podem ser planejadas no sentido de realizar pesquisa em temas relevantes à comunidade industrial. Já temos a experiência e colaboração com o setor público de Camaçari e essa experiência poderia ser estendida ao setor industrial desenvolvendo projetos e soluções em conjunto.

As áreas de possibilidades de atuação são amplas. Atualmente, estamos em processo de aprovação do curso de Engenharia de Produção, além de outras duas áreas das Engenharias: Elétrica e Mecânica, favorecendo e ampliando a oferta de profissionais locais nestas áreas. Além disso, foi aprovada uma área de concentração dentro do BI-CTI em Ciência de Dados, ou seja, os nossos egressos têm a possibilidade de dominar ferramentas de programação, visualização e análise de dados que permitam tomada de decisão baseada em dados e evidências, o que garante um profissional dentro do espectro da indústria 4.0 e de uma produção que caminhe ao lado da Sustentabilidade e Responsabilidade Social.

Quais as principais linhas de pesquisa?

MM – O Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação (ICTI) possui um curso de graduação Bacharelado Interdisciplinar de Ciência Tecnologia e Inovação BI-CTI voltado à grande área de ciência, tecnologia e inovação com três pilares de conhecimento que integram a formação básica dos graduandos no. Os pilares são Ciência e Tecnologia, Humanidades e Letras e Artes. Em breve o ICTI terá duas áreas de concentração no BI-CTI : Ciências de Dados e Estudo de Engenharia além de uma formação de 2 ciclo com o curso de Engenharia de Produção.

Tem alguma novidade para o próximo ano?

MM – Em março de 2022 iremos retornar as aulas de modo presencial e serão disponibilizadas novas áreas de concentração em Ciências de Dados e Estudos em Engenharia. Encontra-se em discussão a abertura de um curso de pós-graduação em parceria com outras instituições de ensino e estão sendo planejados novos laboratórios de ciência dos materiais, realidade virtual e aumentada e prototipagem.

Joe Improta