• 27 de June de 2022


Ford: fábricas paradas há 20 dias já causam falta de peças de Ka e Ecosport

 Ford: fábricas paradas há 20 dias já causam falta de peças de Ka e Ecosport

Linha de produção da fábrica Ford, em Camaçari

As fábricas da Ford em Camaçari (BA) e Taubaté (SP) estão paradas desde o último dia 11, quando a empresa anunciou o fim imediato da produção nacional de veículos. E isso já tem se refletido nas concessionárias. Por causa da paralisação, há relatos de falta de peças de reposição para os três modelos que a oval azul montava no País: Ka, Ka Sedan e EcoSport. De acordo com a UOL Carros, que teve acesso à correspondência enviada anteontem pela Abradif (Associação Brasileira dos Distribuidores Ford) a todos os revendedores da marca, relatando o problema.

Na circular, a entidade afirma que suas associadas já têm recebido notificações dos Procons devido à indisponibilidade de componentes para manutenção na rede autorizada. A associação acrescenta que cobrará da montadora orientação de como “proceder diante da nova situação por ela criada exclusivamente, responsabilizando-se por todos seus efeitos”.

“A Abradif, tendo tomado conhecimento através suas associadas que os Procons locais já estão procedendo com o envio de notificações administrativas, motivadas principalmente (pelas informações que nos chegam) de que já há falta de peças de reposição e acessórios, está preparando uma nova notificação a ser endereçada à Ford”, diz o texto, assinado pelo comitê jurídico que a entidade acabou de constituir.

Na mesma correspondência, a Abradif orienta os respectivos associados a apresentarem “defesa administrativa informando que a rede de concessionários não tem o controle da produção de peças e acessórios”.

Vale destacar que uma parcela considerável dos itens de reposição da marca é fabricada por companhias terceirizadas, mediante contrato.

Na sexta-feira passada, a Abradif já havia notificado a Ford extrajudicialmente, discordando da proposta inicial para indenizar os concessionários que terão os contratos encerrados. Segundo informou um tradicional revendedor, sob condição de anonimato, os planos são de reduzir a rede dos atuais 283 pontos de venda e pós-venda para aproximadamente 120.

Procurada pela reportagem, a fabricante não comenta a falta de peças e afirma que “continuará fornecendo assistência total ao consumidor com operações de vendas, serviços, peças de reposição e garantia para seus clientes no Brasil e na América do Sul”.

Joe Improta