• 12 de April de 2024


Empresa canadense anuncia investimento de R$ 1,8 bilhão para nova fábrica no Polo de Camaçari; 500 empregos serão gerados

 Empresa canadense anuncia investimento de R$ 1,8 bilhão para nova fábrica no Polo de Camaçari; 500 empregos serão gerados

A empresa canadense Largo Resources anuncia investimento superior a R$ 1,8 bilhão na construção de uma fábrica no Polo Industrial de Camaçari para produzir pigmento de titânio, material utilizado no setor químico e de construção. Com capacidade de produção de 120 mil toneladas/ ano em plena carga, a unidade começará suas operações em 2024, com previsão de gerar 500 novas oportunidades de empregos. A empresa, que opera uma mina de vanádio em Maracás, no centro-sul baiano, vai utilizar, na nova fábrica, o titânio dos rejeitos de vanádio.

A sustentabilidade está na base da nova fábrica. Além de não aumentar os impactos ambientais na mina de Maracás, a empresa também vai investir na reciclagem dos rejeitos em Camaçari. “Nosso processo não terá impacto no meio ambiente, não jogará nenhum efluente na natureza. Também vamos reciclar todo o rejeito do processo de fabricação do pigmento de titânio. Uma parte dele vai virar fertilizante”, afirma o presidente da empresa, Paulo Misk.




Segundo o presidente, o plano da empresa é investir cerca de R$ 3 bilhões até 2031 em projetos na Bahia, mas o foco inicial é o titânio, cuja maior parte da produção será destinada ao mercado brasileiro – o país consome cerca de 180 mil toneladas de pigmento por ano.

Recursos próprios

Para construção da nova fábrica de pigmento de titânio do complexo baiano, a empresa já está finalizando a compra do terreno em Camaçari. Posteriormente, aguardará a aprovação da localização por parte do Governo da Bahia para, então, dar início à construção e iniciar a produção em 2024.

“Tudo será financiado com recursos próprios”, afirma Paulo Misk, explicando que “vamos fazer a fábrica em fases. Assim conseguimos diluir melhor os investimentos”. O projeto está planejado em três etapas. A primeira, entrará em operação em 2024, com produção de 30 mil toneladas do produto. Na segunda fase, em 2026, a companhia terá capacidade de beneficiamento de 60 mil toneladas de pigmento de titânio e, na última etapa, em 2029, a produção alcançará 120 mil toneladas.

Joe Improta