• 1 de March de 2024


Braço direito’ de chefe de facção criminosa e comparsa são mortos em confronto com a PM na RMS

 Braço direito’ de chefe de facção criminosa e comparsa são mortos em confronto com a PM na RMS

Dois homens foram mortos em confronto com a Polícia Militar em Villas do Atlântico, em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador. A troca de tiros ocorreu na noite de terça (21), próximo a uma praia da região.

De acordo com a PM, um dos homens mortos era Leonardo Guedes Silva Santana, de 29 anos. Ele usava tornozeleira eletrônica e era considerado o braço direito do chefe de uma organização criminosa que atua no bairro do Calabar, em Salvador.

Conforme informado pela polícia, os agentes faziam ações de prevenção e repressão a ataques na BA-526, quando receberam reclamações de som alto na região de Villas do Atlântico.

Quando as viaturas chegaram no local, houve troca de tiros e os suspeitos fugiram para uma outra casa. O grupo se escondeu no imóvel e, quando a PM adentrou no local, houve um novo confronto.

Após a troca de tiros, parte do grupo conseguiu fugir novamente e dois homens foram encontrados baleados. Eles foram levados pela polícia para o Hospital Menandro de Farias, onde as mortes foram constatadas.

Com os suspeitos, foram encontrados duas armas de fogo, 140 pinos de cocaína, R$ 540 e 20 euros.

“Braço direito” em organização criminosa

Conhecido como “Chicleteiro”, Leonardo Guedes Silva Santana era apontado como “braço direito” do chefe do tráfico do drogas do Calabar, em Salvador. O bairro registrou diversas troca de tiros ao longo deste ano.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), o homem exibia um fuzil quando andava nas ruas do Calabar.

A SSP-BA afirmou que Leonardo estava com uma tornozeleira eletrônica, mas não divulgou por qual crime ele era investigado.

Laís Andrade